Notícias  
Escritora brasileira vence Prêmio Oceanos de Literatura 2018
 


Câmera Lenta, publicado pela Companhia das Letras, foi considerado o melhor livro escrito por um autor lusófono publicado em todos os países em 2018. O segundo lugar foi para o romance Hoje Estarás Comigo no Paraíso, do português Bruno Vieira Amaral, que ganhou R$ 60 mil. A Noite Imóvel, do poeta português Luis Quintais, ficou em terceiro (R$ 40 mil). O Deus Restante, também de poemas, ficou em quarto lugar e rendeu ao moçambicano Luis Carlos Patraquim o prêmio de R$ 30 mil.

Concorreram obras escritas em português e publicadas em qualquer lugar do mundo - antes, eram aceitas inscrições apenas de livros de autores lusófonos lançados no Brasil. No total, foram inscritas 1.364 obras, ante 1.215 registradas em 2017. Poesia liderou as inscrições, com 576 títulos (42%), seguida por romances, com 483 títulos (35%), livros de contos, com 206 inscrições (15%), crônicas, com 78 títulos (5%) e 21 obras de dramaturgia (1,5%).


O júri final foi composto por Ana Paula Tavares (Angola), Daniel Munduruku, Flora Sussekind, Heitor Ferraz e Julián Fuks (Brasil), Helena Buesco, Maria João Cantinho e Pedro Mexia (Portugal). Oceanos 2018, realizado em parceria com o Itaú Cultural, tem curadoria da portuguesa Isabel Lucas e dos brasileiros Selma Caetano, Mirna Queiroz e Manuel da Costa Pinto. O patrocínio é do Banco Itaú, da República de Portugal, por meio do Fundo de Fomento Cultural Português, e da CPFL Energia.

Eis os 10 finalistas do Prêmio Oceanos 2018:
Hoje Estarás Comigo no Paraíso, de Bruno Vieira Amaral (romance/Portugal)
As Pessoas do Drama, de H. G. Cancela (romance/Portugal)
Pai, Pai, de João Silvério Trevisan (romance/Brasil)
O Deus Restante, de Luis Carlos Patraquim (poesia/Moçambique)
A Noite imóvel, de Luís Quintais (poesia/Portugal)
Câmera Lenta, de Marília Garcia (poesia/Brasil)
Vácuos, de Mbate Pedro (poesia/Moçambique)
A noite da espera, de Milton Hatoum (romance/Brasil)
Antiboi, de Ricardo Aleixo (poesia/Brasil)
Anjo noturno, de Sérgio Sant'anna (contos/Brasil)
"Câmera lenta", de Marília Garcia

O livro de Marília reflete a pesquisa da autora sobre o processo poético. Nele, a escritora faz do poema o lugar para experimentar, exercitar o pensamento “ao vivo” e testar procedimentos novos, sempre em aberto. Nascida na cidade do Rio de Janeiro, em 1979, é uma escritora, tradutora e editora brasileira. Publicou os livros "20 poemas para o seu walkman", "Engano geográfico", "Um teste de resistores", "Paris não tem centro" e "Câmera lenta". Participou de encontros e festivais de poesia como o "Corpo a corpo com a poesia", na Casa das Rosas, em São Paulo, o Festival Latinoamericano de Poesía Salida al Mar, em Buenos Aires e o Festival Europalia, na Bélgica, em 2011. É coeditora, com os poetas Angélica Freitas, Fabiano Calixto e Ricardo Domeneck, da revista de poesia Modo de Usar & Co. Em 2015, fundou a Luna PARQUE Edições com o poeta Leonardo Gandolfi. Formou-se em Letras e, em 2010, doutorou-se em Literatura Comparada. Atualmente mora em São Paulo e trabalha com tradução.

Fonte: Estadão

 
« Voltar